Um planeta saudável é fundamental para a sobrevivência humana e, por isso, o 22 de maio é a data escolhida pelas Organizações das Nações Unidas (ONU) para lembrar o Dia Internacional da Biodiversidade. Tendo a biodiversidade como tema, o próximo Domingo na Estação acontece de 9 às 12h e trata com leveza e arte a conscientização ambiental. O evento acontece no Complexo Cultural Estação das Artes, espaço que integra a Rede Pública de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), com gestão em parceria com o Instituto Mirante, após investimento do Governo do Ceará.

A primeira ação do dia, às 9h, está a cargo das arte-educadoras Fleuri Cardoso e Cris Félix que facilitarão o Trem das Cores, um ateliê onde as crianças podem explorar diferentes técnicas como desenho e colagem espalhados pelo chão da Gare, o espaço de eventos. A partir de recortes de animais, plantas e paisagens, as crianças poderão mostrar como a humanidade pode diminuir a escalada de exploração dos recursos naturais que estão se esgotando mais rapidamente do que a capacidade de reposição da natureza. Fleuri Cardoso é formada em Artes Visuais com especial interesse em desenho e gravura experimental e Cris Félix é jornalista e arte-educadora que atua, desde 2017, em projetos educativos e culturais.

De 9h30 às 10h, tendo a obra de azulejos construída pelo artista plástico Descartes Gadelha ao fundo, a Cia Itinerante de Malabares apresenta o número de música, malabarismo e acrobacias “O Circo de uma Mulher Só”. O enredo gira em torno da palhaça Florida Pereba que, cansada do seu papel de “partner”, se aventura em busca de realizar seu sonho: ter seu próprio espetáculo. Ancorado na palhaçaria e na manipulação de objetos, a atração propõe, de forma lúdica e divertida, trazer a potência da mulher como protagonista do seu próprio sonho. E, por mais desafiador que possa parecer o caminho, existe sempre uma forma de fazer dos desafios um show de risada! O espetáculo é uma das atrações patrocinadas pelo Sesc, que também garante as ações musicais.

De 10h às 11h, a DJ e pesquisadora musical Ada Porã apresenta o resultado da sua pesquisa “Brasil Nativo: a música como símbolo da miscigenação”, fruto de mais de três anos de estudo sobre os ritmos que compõem o arcabouço cultural do Brasil popular. O projeto de Ada Porã abre a oportunidade para lembrar também que o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento da ONU é comemorado um dia antes, no sábado, dia 21 de maio. A pesquisadora e DJ entende que o País é muito rico culturalmente, contudo o repertório e a história dos músicos brasileiros ainda não chegam à maior parte da sociedade, que vive sob influência da música pop norte-americana. “Brasil Nativo” é um convite ao deslocamento poético dentro de um Brasil diverso onde a miscigenação é amplamente explorada, seja na confluência dos ritmos trazidos – samba, bossa, coco, maracatu, embolada, carimbó etc – seja no diálogo entre as linguagens da música e das artes visuais. O projeto propõe um mergulho nas raízes do Brasil a partir da experiência sonora e a apreciação dos símbolos que vão surgindo nas letras das canções.

E, para encerrar com muito samba essa manhã de diversidade e consciência pelo planeta, às 11h, o Samba da Theresa ocupa de som e alegria o espaço do Mercado Gastronômico. Theresa Rachel Viana hoje é conhecida no circuito musical da cidade como violonista que acompanha artistas famosos do circuito nacional e pelo seu projeto de samba que tem encantado e lotado plateias pela cidade. Theresa Rachel enveredou pela música aos 11 anos de idade inspirada pelo tio Adelson Viana e pelo avô José Viana, ambos sanfoneiros. Desde cedo, a jovem violonista pôde vivenciar experiências profissionais únicas tocando ao lado de grandes músicos e artistas como Dominguinhos, Tarcísio Sardinha, Nonato Luiz, João Lyra, João Cláudio Moreno, Fausto Nilo, Waldonys, Amelinha, dentre outros. No final de 2019, esteve entre os finalistas do II Festival da Música de Fortaleza com a canção “Criança”, composição de sua autoria. Atualmente, além de se dedicar ao estudo do jornalismo, Theresa Rachel faz shows e trabalha em suas composições para gravar seu primeiro trabalho autoral.

Sobre o Complexo Cultural Estação das Artes

O espaço abre ao público aos domingos com uma programação cultural gratuita, realizada das 9h às 12h. O projeto “Domingo na Estação” tem a proposta de apresentar o complexo cultural em uma construção coletiva desses espaços com o público cearense, além de oferecer atividades de lazer. Com 67 mil m², o Complexo Cultural Estação das Artes implantará, gradualmente, os seguintes equipamentos: a Estação das Artes, o Mercado Gastronômico, o Centro de Design, o Museu Ferroviário e a Pinacoteca do Ceará, além da novas sedes da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ceará (Iphan-CE).

SERVIÇO:
Domingo na Estação
Dia: 22/05/2022
Horário: 9h às 12h
Endereço: Rua Dr. João Moreira, 540, Centro

PROGRAMAÇÃO “DOMINGO NA ESTAÇÃO”
09h às 12h – Feirinha Gastronômica
09h às 12h – Trem das Cores – ateliê para crianças, com Fleuri Cardoso e Cris Félix
9h30 às 10h – O Circo de Uma Mulher Só, com Cia Itinerante de Malabares
10h às 11h – Brasil Nativo, com DJ Ada Porã
11h às 12h – Samba da Theresa, com Theresa Rachel

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro
Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro

Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

© Copyright 2022 Instituto Mirante. Todos os Direitos Reservados.