O MIS realiza programação diversificada abordando questões relacionadas à imagem, literatura, fotografia, cultura afrobrasileira e sonoridade

Fotografia de Beatriz Almeida, participante da “Conversa Experimental – Que espaços ocupa a fotografia analógica em Fortaleza?”

O Museu da Imagem e do Som do Ceará promove neste final de semana (16 a 18/12) uma programação diversificada com aula aberta, debate, vídeoinstalação performativa e oficina, além das quatro exposições abertas de terça a domingo. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. Para visitar os espaços, recomenda-se o uso de máscaras e o esquema vacinal completo contra a Covid-19, incluindo as doses de reforço. O MIS integra a Rede Pública de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, com gestão parceira do Instituto Mirante.

Aula aberta – “Não digam que fui rebotalho”: uma curadoria indisciplinar a partir de (e para) Carolina Maria de Jesus

Nesta aula aberta que acontece na sexta-feira (16), a partir das 18h, na Praça do MIS, o curador Hélio Menezes vai compartilhar com o público o processo de construção da exposição “Carolina Maria de Jesus: um Brasil para os brasileiros”. Trata-se de apresentar os desafios que envolveram pensar e montar a mostra de modo que a autora fosse apresentada em seus próprios termos e em sua multiplicidade, para além da repisada alcunha de “escritora favelada”. Apresentando imagens de Carolina e das obras que participam da exposição, Menezes trará ao público do MIS as etapas da pesquisa e os desafios conceituais de uma abordagem extradisciplinar (e indisciplinada) que deram corpo à exposição, elucidando as escolhas e o partido curatorial desse projeto que propôs um diálogo entre produção escrita, visual e sonora de Carolina e as artes visuais contemporânea e de sua época.

Hélio Menezes trabalha na costura entre arte, palavra e imagem. Curador de exposições marcantes, foi definido pela ArtReview como uma das 100 pessoas mais importantes do mundo da arte contemporânea. Em sua trajetória acadêmica e curatorial, tem desenvolvido trabalhos em colaboração com instituições renomadas, a exemplo do MoMA, Museu de Arte Osório César, Bienal de Arquitetura de São Paulo, Museu de Arte do Rio, New York University, Duke University, Goethe Institut e Princeton University. É mestre em Antropologia pela Universidade de São Paulo, com graduação em Relações Internacionais e em Ciências Sociais, ambas pela mesma universidade, e em parceria com o Institut d’Etudes Politiques de Paris e a Universidade Autónoma de Madrid. Atualmente, integra a equipe curatorial da 35ª Bienal de São Paulo.

Conversa Experimental – Que espaços ocupa a fotografia analógica em Fortaleza? O cenário da fotografia analógica na capital cearense.

Com mediação de Jeferson de Castro e participação de André Accioly, Beatriz Almeida, Ana Pinho e Tiago Pedro, esse diálogo sobre fotografia analógica acontece no sábado (17), às 17h, na Praça do MIS. A conversa trará perspectivas de sujeitos que se expressam, trabalham, empreendem no incentivo às atividades artísticas e culturais dentro do meio analógico, buscando discutir questões sobre o retorno crescente dessa prática, os motivos de usar película em meio as maneiras digitais de fazer imagens, os espaços ocupados por esses fotógrafos na capital cearense, a importância dos laboratórios para a sobrevivência desse cenário e os os horizontes desse modo de produção imagética.

Oficina – Bonecas Abayomi e o encontro precioso com a cultura Afro-Brasileira

Também no sábado (17), de 14h às 18h, acontece no auditório do MIS a oficina “Bonecas Abayomi e o encontro precioso com a cultura Afro-Brasileira”, ministrada por Raquel Santos. Estão sendo ofertadas 20 vagas e as inscrições estão abertas até 15 de dezembro, sendo necessário responder este Formulário de Inscrição. Como parte da política afirmativa do MIS, 20% das vagas serão reservadas para pessoas pretas, pardas, indígenas, quilombolas; 10% para pessoas com deficiência; 10% para pessoas travestis, transexuais e transgêneras. O resultado da seleção será divulgado no dia 16/12, no perfil do Instagram do MIS (@mis_ceara). Também serão disponibilizadas vagas por ordem de chegada, a partir das 13h do dia 17/12.

A oficina propõe uma encruzilhada de encontros, a partir do reconhecimento das ancestralidades através da tecnologia oral. Enquanto constroem bonecas com retalhos de tecido, sem usar linhas e agulhas, as pessoas participantes conhecerão elementos da cultura Afro-Brasileira enquanto escutam histórias de matriz Afro, conhecidas como itans. Será levantada a reflexão sobre as origens de cada participante, com o objetivo de fazer uma conexão com o conceito Sankofa e a Filosofia Ubuntu, abordando a diversidade de crenças, conhecimentos de mundo e até visão de futuro. A oficina buscará refletir e fazer sentir essa ligação entre nós, na atualidade, e quem sobreviveu à diáspora. Usando uma dinâmica de imersão no passado e presente a fim de projetar o futuro, serão identificadas as influências e vivências, familiares ou não, que contribuíram para construção de identidades.

Raquel Santos é artista urbana, arte terapeuta e educadora multilinguagem. Atuante na área desde 2014, adquiriu conhecimentos através das vivências e da graduação em licenciatura em Artes Visuais pelo IFCE. Já participou de eventos como Festival Concreto, Semana do graffiti de Fortaleza, Fórum Mundial da Bicicleta no México e o Salão de Abril Sequestrado. É integrante do NEABI (Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas) e, desde 2018, está à frente de um projeto de arte urbana, voltado para mulheres, denominado Mais que Rosa. Atua como terapeuta para idosos e como professora de artes em uma escola de ensino fundamental.

Praça Experimental – Sampleologia convida: Ode ao Mar Atlântico – Sala de Transe

Por meio de parceria entre o Museu da Imagem e do Som do Ceará e a Pinacoteca do Ceará, o programa Sampleologia recebe o agrupamento Ode ao Mar Atlântico com a performance sonora oracular Sala de Transe, no domingo (18), às 18h30, na Praça do MIS. O grupo realiza um trabalho artístico com pesquisa em sonoridades que cria composições e práticas sonoras e visualidades com base na investigação de composição, investigações e experimentações oriundas de elementos criativos com composição livre entre outras materialidades sonoras e mitologia própria. O projeto finca sua pesquisa tendo o “transe” como elemento de investigação nas linguagens artísticas de um tripé que envolve arte sonora (métodos instalativos sonoros), música exploratória/improvisada (introspecção), células rítmicas de músicas de terreiro ambientadas em manifestações afro brasileiras presente nos ritos de umbanda e candomblé (transe corporal/ litúrgico). O trabalho performático sonoro é desenvolvido pelos artistas Eric Barbosa, Eden Barbosa, Diego Maia, Rami Freitas, Natália Parente, Wellington Gadelha e Nego Gallo.

O programa Sampleologia é um ação sonora visual que investiga os processos de epistemologia de novas escutas/visualidades dentro das possibilidades de reprodução auditiva, visual e sonora, buscando investigar mecanismos nos procedimentos linguísticos e tendo o conceito de “sample” como elemento de composição em sua criação/manipulação; na ressignificação e memórias em um contexto composicional. O programa desenvolve através de artistas, pesquisadores, colaboradores e rede de criadores uma série de procedimentos artísticos que pensam proposições e inventividades sonoras-físico-acústicas e percepções visuais.

Novo horário de funcionamento do MIS

Desde 1/12, o Museu da Imagem e do Som expandiu seu horário de funcionamento. De terça a quinta, o MIS abre ao público das 10h às 18h (com acesso às exposições até 17h30), e de sexta a domingo das 13h às 20h (com acesso às exposições até 19h30).

Exposições

Além dos eventos, o MIS segue com quatro exposições abertas.

“Horizontes Desejantes”

Em cartaz na sala imersiva (andar -2 do anexo), a exposição reúne 26 artistas cearenses na forma de um caleidoscópio onde múltiplos pontos de vista se encontram, se confundem e se complementam para, a partir desse conjunto, refletirmos sobre questões como: desejo e alteridade; desejo e intimidade; desejo, corpo, rito e transcendência; desejo, distopia e utopia; desejo e paisagem; desejo e memória; desejo e existência. Curadoria de Alexandre Sequeira e Iana Soares.

“Ontem choveu no futuro”

Instalação concebida pelo artista Batman Zavareze, na sala imersiva (andar -2 do anexo), com projeções que se expandem para todas as superfícies da sala (paredes e chão), mergulhando o público em imagens e sons que buscam explorar várias perspectivas do Ceará, fazendo um passeio por fotografias, arte generativa, arte abstrata etc.

“Laboratório dos Sentidos”

Funcionado no casarão do MIS, é uma exposição interativa que oferece vários equipamentos para os visitantes manipularem e experimentarem conceitos relacionados à imagem e ao som. Curadoria de André Scarlazzari.

“Leocácio Ferreira – Todos juntos, vamos…!”

Oferece um passeio pela obra deste fotógrafo que atuou no Ceará nas décadas de 1960-1970 e construiu sua própria câmera panorâmica. Fica no andar +2 do anexo. Curadoria de Rosely Nakagawa.

 

 

SERVIÇO:

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
Endereço: Av. Barão de Studart, 410. Meireles.
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h, com acesso às exposições até 17h30.
Sexta a domingo: 13h às 20h, com acesso às exposições até 19h30.

Entrada: gratuita.

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL:

– Aula aberta – “Não digam que fui rebotalho”: uma curadoria indisciplinar a partir de (e para) Carolina Maria de Jesus
Com Hélio Menezes
Data: 16/12
Horário: 18h
Local: Praça do MIS

– Conversa Experimental – Que espaços ocupa a fotografia analógica em Fortaleza? O cenário da fotografia analógica na capital cearense
Com mediação de Jeferson de Castro e participação de André Accioly, Beatriz Almeida, Ana Pinho e Tiago Pedro
Data: 17/12
Horário: 17h
Local: Praça do MIS

– Oficina – Bonecas Abayomi e o encontro precioso com a cultura Afro-Brasileira
Com Raquel Santos
Data: 17/12
Horário: 14h – 18h
Local: auditório do MIS (casarão)
Inscrições: 13 a 15/12 neste Formulário de Inscrição
Vagas: 20. Como parte da política afirmativa do MIS, 20% das vagas serão reservadas para pessoas pretas, pardas, indígenas, quilombolas; 10% para pessoas com deficiência; 10% para pessoas travestis, transexuais e transgêneras.
Resultado da seleção: 16/12, no perfil do Instagram do MIS (@mis_ceara).
Também serão disponibilizadas vagas por ordem de chegada, a partir das 13h do dia 17/12.

– Praça Experimental – Sampleologia convida: Ode ao Mar Atlântico – Sala de Transe

Data: 18/12
Horário: 18h30
Local: Praça do MIS

EXPOSIÇÕES:

Horizontes Desejantes
Local: anexo, andar -2
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h, 16h e 17h, com acesso até 17h30.
Sexta a domingo: 13h, 18h e 19h, com acesso até 19h30.

Ontem choveu no futuro
Local: anexo, andar -2
Funcionamento:
Terça a quinta: 11h às 16h.
Sexta a domingo: 14h às 18h.

Laboratório dos Sentidos
Local: casarão do MIS
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h, com acesso até 17h30.
Sexta a domingo: 13h às 20h, com acesso até 19h30.

Leocácio Ferreira – Todos juntos, vamos…!
Local: anexo, andar +2
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h, com acesso até 17h30.
Sexta a domingo: 13h às 20h, com acesso até 19h30.

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro
Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro

Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

© Copyright 2022 Instituto Mirante. Todos os Direitos Reservados.