Além de quatro exposições abertas, o MIS exibe documentário sobre o artista popular Eduardo Ângelo, que produz esculturas a partir da carnaúba

Foto: Deivyson Teixeira

O Museu da Imagem e do Som do Ceará segue com quatro exposições abertas de terça a domingo. Além disso, neste sábado (7/01), será exibido o documentário “O Jardineiro do Palácio”. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. Para visitar os espaços, recomenda-se o uso de máscaras e o esquema vacinal completo contra a Covid-19, incluindo as doses de reforço. O MIS integra a Rede Pública de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, com gestão parceira do Instituto Mirante.

Exibição do documentário “O Jardineiro do Palácio”

O documentário “O Jardineiro do Palácio” retrata a obra do artista popular Eduardo Ângelo, que trabalha como jardineiro no Palácio do Governo do Ceará, e que também transforma o canteiro central da avenida Barão de Studart, diante do MIS, em uma galeria de arte a céu aberto, expondo as esculturas que produz. O filme tem duração de 7 minutos e será exibido na praça do MIS neste sábado (7/01) em três horários: 18h, 18h30 e 19h.

Eduardo Ângelo divide seu tempo entre a atividade artística e a profissão de jardineiro do Palácio do Governo, onde passa o dia cuidando de diferentes espécies: cajueiros, cedros, palmeiras, dracenas e ipês amarelos, mas foi a carnaúba, símbolo do Ceará, que ele escolheu como fonte de matéria-prima para construir suas obras, inspiradas no imaginário sertanejo. A partir de uma documentação fotográfica das obras do artista realizada pelo fotógrafo Galba Sandras, foi organizada a exposição intitulada “O Jardineiro do Palácio”, exibida atualmente na fachada do Palácio da Abolição. A exposição foi aberta em 26 de dezembro último, em solenidade com a presença da ex-governadora Izolda Cela, do ex-secretário da Cultura Fabiano Piúba, da diretora-presidenta do Instituto Mirante de Cultura e Arte Lara Vieira e do diretor do Museu da Imagem e do Som do Ceará, Silas de Paula.

No cerne da exposição, o encontro de duas artes: a Fotografia e a Escultura de caráter efêmero. O conceito da arte efêmera remete a um estilo de arte que não tem como principal objetivo apresentar obras que durem longos períodos. Priorizam a brevidade, a natureza provisória da arte e contemplam elementos como restos, folhas e terra. “A natureza efêmera do trabalho de Eduardo Ângelo me motivou, enquanto fotógrafo documentarista, a eternizar sua obra em forma de exposição fotográfica”, explica Galba. No documentário a ser exibido no MIS, Eduardo Ângelo fala sobre sua arte e sobre seu processo criativo.

Exposições

O MIS segue com quatro exposições abertas de terça a domingo.

“Horizontes Desejantes”

Em cartaz na sala imersiva (andar -2 do anexo), a exposição reúne 26 artistas cearenses na forma de um caleidoscópio onde múltiplos pontos de vista se encontram, se confundem e se complementam para, a partir desse conjunto, refletirmos sobre questões como: desejo e alteridade; desejo e intimidade; desejo, corpo, rito e transcendência; desejo, distopia e utopia; desejo e paisagem; desejo e memória; desejo e existência. Curadoria de Alexandre Sequeira e Iana Soares.

“Ontem choveu no futuro”

Instalação concebida pelo artista Batman Zavareze, na sala imersiva (andar -2 do anexo), com projeções que se expandem para todas as superfícies da sala (paredes e chão), mergulhando o público em imagens e sons que buscam explorar várias perspectivas do Ceará, fazendo um passeio por fotografias, arte generativa, arte abstrata etc.

“Leocácio Ferreira – Todos juntos, vamos…!”

Oferece um passeio pela obra deste fotógrafo que atuou no Ceará nas décadas de 1960-1970 e construiu sua própria câmera panorâmica. Fica no andar +2 do anexo. Curadoria de Rosely Nakagawa.

“Laboratório dos Sentidos”

Funcionando no casarão do MIS, é uma exposição interativa que oferece vários equipamentos para os visitantes manipularem e experimentarem conceitos relacionados à imagem e ao som. Curadoria de André Scarlazzari.

Confira os horários abaixo.

SERVIÇO:

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
Endereço: Av. Barão de Studart, 410. Meireles.
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h, com acesso às exposições até 17h30.
Sexta a domingo: 13h às 20h, com acesso às exposições até 19h30.

Entrada: gratuita.

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL:

– Exibição do documentário “O Jardineiro do Palácio”
Data: 07/12
Horários de exibição: 18h, 18h30, 19h
Local: Praça do MIS
Duração: 7 minutos

EXPOSIÇÕES:

– Horizontes Desejantes
Local: anexo, andar -2
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 11h / 15h30 às 18h (acesso até 17h30).
Sexta a domingo: 13h às 14h / 17h30 às 20h (acesso até 19h30).

– Ontem choveu no futuro
Local: anexo, andar -2
Funcionamento:
Terça a quinta: 11h às 15h30.
Sexta a domingo: 14h às 17h30.

– Laboratório dos Sentidos
Local: casarão do MIS
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h (acesso até 17h30).
Sexta a domingo: 13h às 20h (acesso até 19h30).

– Leocácio Ferreira – Todos juntos, vamos…!
Local: anexo, andar +2
Funcionamento:
Terça a quinta: 10h às 18h (acesso até 17h30).
Sexta a domingo: 13h às 20h (acesso até 19h30).

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro
Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro

Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

© Copyright 2022 Instituto Mirante. Todos os Direitos Reservados.