Com experiências gastronômicas para ver, ouvir, cheirar, tocar e provar, programação gratuita ocorre de sexta a domingo, 20 a 22 de janeiro, no Complexo Cultural Estação das Artes, valorizando a cultura alimentar do Ceará

Foto: Thiago Matine

A comida atravessa todos os nossos sentidos, uma experiência da cultura que perpassa o corpo, a memória e a história do nosso povo. Para celebrar a riqueza da identidade alimentar do Ceará, o Mercado AlimentaCE realiza neste final de semana, de sexta (20) a domingo (22), o “Festival de Gastronomia Cearense: um convite aos sentidos”. O evento é gratuito.

Parte da Rede Pública de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado (Secult Ceará), gerido em parceria com o Instituto Mirante, o Mercado AlimentaCE foi criado no âmbito da Lei Estadual da Gastronomia (Lei n° 17.608/2021) para fomentar e promover a gastronomia cearense. Além de feiras aos finais de semana, restaurantes que começam a ocupar o novo polo gastronômico no Centro da Cidade e formações com a cadeia produtiva local, há também um importante trabalho de mapeamento da cultura alimentar no interior do Estado. A pesquisa se desdobra em outras ações, como uma loja de produtos alimentícios do Ceará, que será inaugurada em breve.

Neste final de semana, o equipamento realiza o “Festival de Gastronomia Cearense: um convite aos sentidos”, no Complexo Cultural Estação das Artes, como uma oportunidade para também apresentar ao público algumas dessas ações. “Em todo canto do mundo, o mercado é um dos lugares onde a gente pode visitar e conhecer melhor a cultura e a alma das cidades e dos países. O Mercado AlimentaCE tem esse propósito, construir experiências que possam permitir um mergulho na cultura cearense através dos nossos sentidos e dos nossos afetos. O Festival será uma ótima oportunidade de conhecer mais sobre o Ceará e suas belezas e delícias”, avalia a secretária de Cultura do Estado, Luísa Cela.

“É essencial dar a devida importância às raízes do que fazem a nossa gastronomia, aos ingredientes que compõem pratos e preparações, que fizeram e ainda fazem parte, da mesa do cearense. Reconhecer que cada Peixe à Delícia e cada Peixada são os personagens que dão o tom da nossa história alimentar, trazendo consigo uma bagagem potente de reconhecimento, identificação e pertencimento”, afirma Marina Araújo, diretora do Mercado AlimentaCE.

PROGRAMAÇÃO

Ao longo de três dias, o evento terá uma programação extensa, celebrando a gastronomia cearense em diálogo com diversas linguagens artísticas. Na sexta-feira, dia 20, as atividades iniciam às 18h, com o lançamento da série audiovisual “Guardiãs: protegendo o tesouro alimentar do Ceará”, no Centro de Design.

A produção conta a história de Conceição, Lúcia, Socorro e Maria Luísa, quatro mulheres de três diferentes regiões do Estado, que preservam os saberes alimentares de seus territórios: o Café de Manjerioba de Fortim, o Minuto da Comunidade Quilombola da Serra do Evaristo, em Baturité, e as Ovas de Camurupim, de Apiques, em Itapipoca. As personagens foram encontradas nas ações itinerantes da equipe de pesquisa e curadoria do Mercado AlimentaCE ao longo do ano passado.

Após a exibição, às 19h, a roda de conversa “Comida e memória: gastronomia como patrimônio cultural” reúne Vanessa Moreira, da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, e Cristina Holanda, diretora do Museu Ferroviário. Com mediação de Marina Araújo, o debate vai refletir sobre a salvaguarda da comida e seus modos de fazer como bem imaterial.

Simultaneamente, na gare da Estação das Artes, os restaurantes Mormaço, Tacos Burger, Muá Tuá, Pachamama, Cozinha do Deyme e Sorvete da Reserva vão oferecer opções especiais para o Festival, com pratos típicos da culinária cearense. A comedoria será animada pelo DJ Kinas, com um projeto que passeia por diversos estilos musicais, do samba raiz ao groove sincopado, rap e repente. Fechando a primeira noite em clima de pré-carnaval, a banda “Os Alfazemas” traz seu repertório de releitura dos clássicos da música brega e da música romântica.

No sábado, a programação inicia às 16h, com restaurantes abertos e o som da DJ Isa Capelo, trazendo seu estilo marcado por brasilidades, numa mistura do clássico da MPB e outras bossas, como o jazz. Às 16h30, a roda de conversa “Qual o babado da cerveja cearense?” vai fazer um passeio pelos estilos, sabores e história das cervejas produzidas no Ceará, com Alfredo Aghina (Turatti), Sérgio Soares (Brauhaus), Eduardo Lopes (Capitosa) e mediação de Flor Viana.

Já a partir das 18h, Daniele Jucá realiza a aula-show “Território, alimento e liberdade: caldinho de jerimum”. O público poderá acompanhar o preparo do caldinho de jerimum com coco e carne de caju enquanto a chef vai refletir sobre os sentidos de território que compõem a Barra de Moitas, no litoral oeste do Ceará, e o cenário encontrado pelas comunidades do litoral para pôr comida em suas mesas e permanecer em suas terras.

A noite encerra com o show “Alegria Amarela”, da cantora e compositora Lorena Nunes, a partir das 19h. A artista apresenta um repertório múltiplo e dançante, mesclando canções já conhecidas com novas versões do cancioneiro negro brasileiro. Acompanhada por um time de músicos de peso e por Pedro Façanha, que também assina a direção musical do espetáculo, Lorena entrega uma apresentação com todas as cores e batuques do Carnaval, para dançar e celebrar a alegria dos encontros.

Já no domingo, o evento começa às 9h e segue até 16h, com a tradicional feirinha agroecológica, aulas-show e atividades infantis, como oficinas lúdicas com comida e a apresentação teatral “A valorização da cultura alimentar do povo Tremembé”, com crianças indígenas da Terra Indígena Tremembé da Barra do Mundaú. Às 10h, alunos da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco realizam a oficina “Capim Santo – que alimenta e que cura”. Já às 11h30, o pesquisador, agricultor e estudante de agronomia, Mateus Tremembé, comanda a aula-show “Cultura alimentar indígena em destaque”.

O DJ Estácio Facó anima a manhã com seu repertório marcado pela brasilidade. A partir de meio-dia, os restaurantes garantem o Almoço no Mercado, embalado pelo som da “2ª Cena: Roda de Choro das Mulheres”, dentro do projeto Chorinho na Estação, iniciado no último fim de semana e que seguirá até fevereiro, sempre aos domingos. A partir das 14h, o Bloco Iracema Bode Beat faz o show de encerramento do Festival, com personagens do bloco e os cantores Nayra Costa e Daniel Groove interpretando releituras autorais e contemporâneas do nosso Ceará, além dos clássicos do axé.

ESPAÇOS

Ao longo de toda a programação, espalhados pela Estação das Artes, haverá espaços como o Mercado da Cerveja, que será ocupado por cinco cervejarias do Ceará: Capitosa, Turatti, Brauhaus, Duporto e Al Grain. O público poderá conferir, ainda, a Casa das Guardiãs, com degustação do café da manjerioba, minuto e ovas de camurupim, além de outros produtos cearenses da curadoria do Mercado AlimentaCE.

A Mercearia AlimentaCE vai reunir produtores para comercializar seus empórios e trazer para perto do consumidor um pouco das geléias, cafés, queijos, embutidos e artesanatos de diversas partes do Estado. Estarão presentes os expositores Mata Branca, Acaragri, Bioceleiro, MST, Cajuína São João, The Pot, Ceart, Marmeloo, Nobre Vita e Delicia Nordestina. Já na Bodega, o público será convidado a vivenciar experiências sensoriais com sementes de diversos tipos.

Além disso, haverá Comida de Pracinha, com pipoca, algodão doce, chegadinha e carne de fruta para os apaixonados pelas delícias de rua.

>>> Confira a programação completa:

Festival de Gastronomia Cearense: Um convite aos sentidos
Programação geral

Quando: 20, 21 e 22 de janeiro de 2023 | Sexta (18h às 21h30); Sábado (16h às 21h) e Domingo (9h às 16h)
Onde: Complexo Cultural Estação das Artes (Rua Dr. João Moreira, 540, Centro)
Acesso gratuito | Sujeito à capacidade do espaço (1.500 pessoas por dia) | Saída sem retorno

Dia 20 | Sexta-feira – 18h às 21h30
> Onde: Centro de Design
18h – Abertura
18h30 – Lançamento da série audiovisual “Guardiãs: protegendo o tesouro alimentar do Ceará”
19h – Roda de conversa “Comida e memória: gastronomia como patrimônio cultural”
Com Vanessa Moreira e Cris Holanda, mediação de Marina Araújo

> Onde: Gare da Estação das Artes
A partir das 18h
Com DJ Kinas
Comedoria aberta com os restaurantes Mormaço, Muá Tuá, Tacos Burger, Pachamama, Cozinha do Deyme e Sorvete da Reserva
19h30 – Show com Os Alfazemas
+ Mercado da Cerveja: Capitosa, Turatti, Brauhaus, Duporto e Al Grain
+ Casa das Guardiãs: com degustação do Café da Manjerioba, Minuto e Ovas de camurupim
+ Bodega: espaço sensorial

Dia 21 | Sábado – 16h às 21h

> Onde: Gare da Estação das Artes
16h – Abertura da Estação
Com DJ Isa Capelo
Comedoria aberta com os restaurantes Mormaço, Muá Tuá, Tacos Burger, Pachamama, Cozinha do Deyme e Sorvete da Reserva
16h30 às 17h30 – Roda de conversa “Qual o babado da cerveja cearense?”, com Alfredo Aghina (Turatti), Sérgio Soares (Brauhaus) e Eduardo Lopes (Capitosa), mediação de Flor Viana
17h45 às 18h45 – Aula-show “Território, alimento e liberdade: caldinho de jerimum”, com Daniele Jucá
19h às 21h – Show “Alegria Amarela”, de Lorena Nunes

+ Mercado da Cerveja: Capitosa, Turatti, Brauhaus, Duporto e Al Grain
+ Mercearia AlimentaCE: Mata Branca, Acaragri, Bioceleiro, MST, Cajuína São João, The Pot, Ceart, Marmeloo, Nobre Vita e Delicia Nordestina
+ Comida de pracinha: pipoca, algodão doce, chegadinha e carne de fruta
+ Casa das Guardiãs, com degustação dos produtos da série audiovisual e da curadoria AlimentaCE
+ Bodega: espaço sensorial

Dia 22 | Domingo – 9h às 16h

> Onde: Gare da Estação das Artes
9h – Abertura da Estação
Comedoria aberta com os restaurantes Mormaço, Muá Tuá, Tacos Burger, Pachamama, Cozinha do Deyme e Sorvete da Reserva
Feira agroecológica com MST
Com DJ Estácio Facó
9h -12h – Oficinas infantis “Amassa a massinha: oficina de massa de modelar caseira” e “Bon Biju Petit: criação de colares de macarrão”, com Alê Grando
10h às 11h – Oficina “Capim Santo – que alimenta e que cura”, com alunos da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco
10h30 às 11h – Apresentação teatral infantil “A valorização da cultura alimentar do povo Tremembé”, com crianças indígenas da Terra Indígena Tremembé da Barra do Mundaú
11h às 12h – Aula-show “Cultura alimentar indígena em destaque”, com Mateus Tremembé
12h às 14h – Chorinho da Estação
14h – Show de encerramento com Bloco Iracema Bode Beat

+ Mercado da Cerveja: Capitosa, Turatti, Brauhaus, Duporto e Al Grain
+Mercearia AlimentaCE: Mata Branca, Acaragri, Bioceleiro, MST, Cajuína São João, The Pot, Ceart, Marmeloo, Nobre Vita e Delicia Nordestina
+ Comida de pracinha: Pipoca do Leandro, milho cozido e assado, GoKids – algodão doce, Picolé Serelepe, Chegadinha do seu Elias e Dona Lucimar e carne de fruta
+ Casa das Guardiãs, com degustação do Café da Manjerioba, Minuto e Ova de camurupim e outros produtos cearenses da curadoria do Mercado AlimentaCE
+ Bodega: espaço sensorial

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro
Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

Endereço

Rua das Amélias, nº 1234 – Bairro

Fortaleza – Ceará

Contato

Receba nossas novidades

© Copyright 2022 Instituto Mirante. Todos os Direitos Reservados.